Sua cozinha e sua vida mais prática, com Vapza!

Pais: como influenciar o comportamento alimentar dos filhos

Postado por Vapza, em 11 Aug 2019 — 14h57

como-influenciar-no-comportamento-alimentar-dos-filhos

Uma criança que se recusa a comer qualquer tipo de salada, torce o nariz para o feijão, deixa a carne toda no prato e se alimentaria apenas de salgadinhos e doces se os pais permitissem: essa é uma descrição comum do que acontece em muitas famílias.

Embora hábitos como fazer boas escolhas ao montar o prato, comer legumes todos os dias e limitar o consumo de açúcar e frituras sejam necessários para uma alimentação saudável, nem sempre é fácil convencer as crianças a colocá-los em prática.

De fato, assim como as boas maneiras, o cuidado com o meio ambiente e o respeito aos mais velhos, os hábitos alimentares precisam ser ensinados aos pequenos desde cedo. Veja como os pais podem influenciar a relação das crianças com a comida e incentivar uma boa alimentação desde cedo:

1. O exemplo começa pelos pais

Como os pais descobrem quando os filhos têm poucos meses de vida, as crianças são excelentes imitadoras – e isso continua sendo válido quando o assunto é alimentação. Assim, ao observar a relação que os pais têm com a comida, é muito provável que os pequenos repitam esse comportamento, seja ele adequado ou não.

Dessa forma, desde cedo a criança deve estar inserida em um contexto em que se valorizam produtos frescos, a diversidade de alimentos e o equilíbrio durante as refeições, de modo que esses hábitos estejam muito bem internalizados quando ela começar a ter mais autonomia sobre a própria alimentação.

2. Uma alimentação saudável deve ser colorida

A apresentação dos pratos é fundamental para que ele desperte a vontade de comer, e isso é especialmente válido para as crianças – engane-se quem pensa que o visual dos alimentos não seja importante para elas. 

Por isso, ao preparar refeições para os pequenos, tire proveito do lado mais lúdico e monte pratos coloridos e com formatos divertidos utilizando diferentes variedades de alimentos.

3. Estabeleça regras sem forçar a alimentação

Os pais devem ter muito claro que eles são os responsáveis por oferecer uma alimentação saudável à criança, o que significa colocar limites e fazer com que as regras sejam seguidas. Porém, isso também não quer dizer que seja aceitável fazer uma criança comer contra a sua vontade.

comportamento alimentar

Por exemplo, se seu filho se recusar a comer o prato preparado para ele no almoço e pedir para trocar a refeição por bolachas, você não deve fazê-lo comer à força, mas também não deve ceder às vontades dele. 

Em vez disso, deixe claro que o alimento adequado para o momento é aquele que está no prato. Se ele não quiser comer, deverá esperar até o horário da próxima refeição para poder consumir outro tipo de alimento.

4. Seja persistente e criativo

Muitas vezes, a recusa da criança em relação a um novo alimento não significa que ela não goste dele, mas sim que ela ainda precisa de mais tempo para se decidir a experimentá-lo. 

Alguns estudos científicos mostraram que pode ser necessário oferecer um alimento de 12 a 15 vezes até que os pequenos aceitem prová-lo, por isso é preciso ser persistente.

Além disso, se seu filho não consumir um alimento preparado de determinada forma, você pode experimentar receitas diferentes. Por exemplo, ele pode não aceitar comer cenoura cozida, mas talvez se interesse por cenoura crua ralada como recheio de um sanduíche.

5. Tenha alimentos práticos sempre à mão

Com muita frequência, a correria do dia a dia é um grande obstáculo na hora de preparar refeições para as crianças, pois parece muito mais fácil permitir que elas comam um pacote de salgadinho no jantar do que montar um prato com comida de verdade.

Para evitar que isso aconteça, é importante ter à mão alimentos que sejam ao mesmo tempo nutritivos e práticos, permitindo que você prepare uma refeição completa em poucos minutos. Esse é o caso dos alimentos Vapza, que já vêm semiprontos e facilitam a sua vida na cozinha.

Os produtos Vapza passam por um processo de cozimento no vapor em altas temperaturas, dentro da própria embalagem selada a vácuo. Assim, ao mesmo tempo em que se conservam os nutrientes, os alimentos são esterilizados e isolados do contato com o ar externo. 

Em consequência, os produtos Vapza são produzidos sem conservantes e se mantêm frescos e saudáveis por meses, sem necessidade de ficar na geladeira. Assim, cozinhar com Vapza é saudável e você ganha novas possibilidades no seu dia a dia, inclusive no preparo de papinhas que podem ser oferecidas a bebês a partir dos seis meses de idade.

Além disso, se seus filhos são mais crescidinhos, também é uma excelente ideia convidá-los para auxiliar você no preparo das refeições, o que contribui para despertar o interesse deles pela alimentação saudável. Conte com a Vapza para ajudar você nessa missão! Acesse nossa loja online e receba os produtos Vapza sem sair de casa.

Fonte(s): USP e O Globo

Confira também...

Conheça nossas Linhas de Produtos