Sua cozinha e sua vida mais prática, com Vapza!

Como evitar a intoxicação alimentar

Postado por Vapza, em 21 May 2019 — 23h07

como prevenir a intoxicação alimentar

A intoxicação alimentar é um conjunto de sintomas causados pela ingestão de alimentos ou bebidas contaminados por microrganismos, como bactérias, vírus, fungos e parasitas, ou suas respectivas toxinas.

Esse quadro pode se manifestar poucas horas ou alguns dias depois da ingestão do alimento contaminado, o que dificulta o rastreamento até o produto causador. O principal sintoma é a diarreia aquosa, mas a intoxicação também costuma incluir dor e inchaço abdominal, cólicas, mal-estar, náuseas, vômitos, febre, dores musculares e fadiga.

Embora a maior parte das intoxicações alimentares se resolva em cerca de uma semana, elas podem causar complicações como desidratação, queda de pressão arterial e desequilíbrios eletrolíticos nas situações mais graves, especialmente em crianças e idosos.

Conheça as principais dicas de como evitar a intoxicação alimentar:

1. Observe as condições de higiene do local ao comer fora

Ao comer em lanchonetes, restaurantes e outros estabelecimentos, observe a limpeza de itens como balcões, mesas e pisos, que já dão uma boa noção das condições de higiene do local. Se possível, verifique também a limpeza dos utensílios da cozinha.

Em buffets, opte apenas por locais onde os alimentos sejam protegidos por um anteparo e os pratos frios (saladas, maionese etc.) sejam servidos em compartimentos refrigerados.

Além disso, fique de olho no estado de conservação do uniforme e no asseio pessoal dos funcionários (os cabelos devem estar presos e protegidos com touca e as unhas devem estar limpas).

2. Evite consumir produtos “perigosos” em locais desconhecidos

Os alimentos mais propensos a apresentar contaminação devem ser consumidos apenas em locais de total confiança e que sigam normas de higiene rigorosas de manipulação, preparo e armazenamento dos produtos. A lista de alimentos “perigosos” inclui:

  • Cachorro-quente e outros alimentos vendidos por ambulantes;
  • Carnes cruas ou mal passadas;
  • Embutidos como salsicha, linguiça e salame;
  • Frutos do mar, especialmente as ostras;
  • Pratos preparados com ovos crus, como maionese e alguns doces;
  • Produtos lácteos não pasteurizados;
  • Saladas cruas.

3. Lave bem as mãos, utensílios e superfícies

As mãos são o principal veículo de contaminação dos alimentos, por isso elas devem ser muito bem lavadas antes de consumir ou preparar uma refeição. Para isso, esfregue-as com água e sabão por cerca de 20 segundos, sem se esquecer das pontas dos dedos, dos espaços interdigitais, da face exterior e dos punhos.

intoxicação alimentar

Além disso, todos os utensílios que serão utilizados no preparo do alimento devem estar limpos e em bom estado, assim como bancadas e pias com as quais a comida possa entrar em contato.

4. Higienize corretamente frutas, legumes e verduras

O primeiro passo para a higienização dos vegetais é lavá-los em água corrente com auxílio de uma escovinha para remover a sujeira visível.

Depois disso, é necessário deixá-los de molho por 10 minutos em uma solução de 1 colher de sopa de água sanitária (hipoclorito de sódio 2,5%) para cada litro de água. Em seguida, enxágue-os com água filtrada e seque-os com papel-toalha.

Embora muitas pessoas utilizem o vinagre para higienizar os vegetais, essa substância remove apenas a sujeira visível, não sendo suficiente para eliminar os microrganismos.

5. Evite a contaminação cruzada entre alimentos crus e cozidos

O contato entre alimentos crus e cozidos ou de diferentes origens, como vegetais e carnes, aumenta o risco de contaminação pela transmissão de bactérias, vírus e outros germes.

Por isso, utensílios que entraram em contato com carne crua, como facas, pratos e tábuas de corte, precisam ser muito bem lavados antes de ser utilizados na manipulação de carnes cozidas e outros alimentos que não vão passar por cozimento, como verduras e legumes que serão consumidos crus.

6. Armazene as sobras corretamente

Alimentos cozidos devem ser guardados na geladeira em no máximo 30 minutos depois do preparo, mesmo que ainda estejam um pouco quentes.

intoxicação alimentar prevenção

Armazene-os em recipientes tampados para evitar a contaminação cruzada e fique atento à duração desses alimentos.

7. Siga todos os cuidados ao congelar alimentos

Ao tirar um alimento do freezer, deixe-o descongelar na geladeira ou utilize a função própria para isso no micro-ondas. Não é aconselhável descongelar o alimento em temperatura ambiente, pois há um alto risco de contaminação.

Depois que um alimento for descongelado, ele não deve ser congelado novamente. Por isso, o mais indicado é levar os produtos ao freezer em porções pequenas.

8. Dê preferência a produtos seguros

Ao fazer compras, procure adquirir produtos práticos e com alto grau de qualidade e segurança. Um excelente exemplo disso são os alimentos Vapza, que passam por um processo rigoroso de higienização, são cozidos em alta temperatura e são esterilizados dentro da própria embalagem selada a vácuo.

Com essa técnica, a Vapza garante que os microrganismos são eliminados e que não haverá contato com o oxigênio nem a entrada de novos germes, evitando a contaminação dos alimentos.

Além disso, esse sistema permite que os produtos já cozidos sejam mantidos frescos e seguros por vários meses, dispensando a adição de conservantes e a refrigeração – o que também ajuda a preservar o valor nutricional dos alimentos por mais tempo. Assim, você sempre tem à mão alimentos devidamente higienizados, esterilizados e semiprontos para o consumo.

Agora que você conhece as principais dicas de como evitar a intoxicação alimentar, lembre-se de que você também pode contar com a Vapza para ter uma alimentação saudável, prática e segura. Acesse nossa loja online e adquira sem sair de casa.

Fonte(s): Drauzio VarellaMinha Vida e Huff Post Brasil

Conheça nossas Linhas de Produtos